Você é independente?

08:05 Renata Becker Wentz 6 Comentários

Eu adoro ler textos de reflexão sobre a vida, autoajuda, relacionamento... E toda vez que leio algum texto assim penso em diversas coisas. Há pessoas que se acham autossuficientes e dizem "eu odeio livro de autoajuda, eu não preciso disto". Ok, vamos falar sobre eles.



Os livros de autoajuda praticamente falam sobre a mesma coisa, apenas de formas diferentes. Mas, que mal há tirar um tempo para pensar na própria vida? Não é o livro que fará você ficar mais feliz ou mais deprimido, é você mesmo. E não é porque você lê um livro de autoajuda que quer dizer que você seja uma pessoa fraca, sem autoestima ou deprimida.

LEIA TAMBÉM: Sobre o que queremos e o medo que temos

Há momentos em nossa vida que nos faz bem ler algo assim, nos motiva. Palavras animadoras, pensamentos de reflexão ou até dicas de como ter uma vida melhor. E por que não tentar seguir estas dicas? Que mal há se você está tentando ser mais feliz?

Eu confesso que sou uma pessoa super confusa e indecisa. Confesso também que quando leio algum livro assim repenso muitas coisas em minha vida. Mas, isto não quer dizer que eu não saiba quem eu sou ou o que eu quero. Tenho minha opinião e meus desejos e não me sinto diminuída por gostar deste tipo de livro.

A gente não precisa ser uma mulher confiante 100% do tempo, podemos cometer erros, nos enganar, nos apaixonar pelo cara errado ou até começar e parar várias vezes uma dieta mesmo tendo alguém que fale "ela não sabe o que quer, já começou a dieta de novo". E daí? Se é o que você busca para ser feliz, faça! É assim que a gente aprende: tentando e, às vezes, errando.

O mundo hoje nos obriga a ser mulher alfa, determinada e segura, que sabe o que pensa em todos os momentos e não se abala com qualquer coisa. Uma mulher independente, que não precisa de um homem para defendê-la e está longe de ser o sexo frágil. Mas pra você, o que é ser independente?

Nós mulheres já estamos provando que conseguimos exercer cargos que antigamente eram só de homens. Ok, uma evolução, mas isto não quer dizer que não precisamos de um carinho num momento difícil ou então que ele nos proteja depois de um pesadelo.

Todas nós podemos ser independentes sendo casadas, tendo filhos, trabalhando ou então cuidando do lar. Não são estes fatores que te tornam menos independentes, mas sim o fato de você se sentir independente.

Saber que sua opinião não muda só porque os outros querem, saber que você pode ceder sim, às vezes, para evitar um conflito. Saber que você deixou de sair com suas amigas porque seu filho ficou doente. Saber que você pode fazer tudo isto e continuar sendo você mesma, com seus defeitos e qualidades e principalmente: que os outros devem te aceitar assim, pois uma mulher independente não muda por causa dos outros, mas sim, por ela mesma.

Bjos

Fonte imagem: Google

Você poderá gostar desses posts

6 comentários:

  1. Oi Renata,
    Nada de mulher alfa, rssss ser mulher já está de bom tamanho pois foi assim que Deus nos fez e com todas as nossas peculiaridades não é mesmo? Fantástico você reconhecer que tem dificuldades, eu também tenho, portanto não há nada de errado em ir em busca de melhorar!
    bjs e bom restinho de semana!!!
    http://www.segredoscoracao.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. e não é? Não somos perfeitas e tbm nem quero ser....hehe bjo

      Excluir
  2. Oi Renata! Mandou muito bem! Concordo em vários aspectos!
    http://formandonossafamilia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Oi Re, confesso que amo ler mas não curto muito livros de auto ajuda....
    Concordo com vc nessa parte da independência feminina e acho que podemos melhorar a cada dia.... Bjinhos....

    http://cantinhonailha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. na verdade eu gosto deste tipo de livro quando não é muito "enchedor de linguiça"...tem uns q nao saem do lugar..mas tem uns com uma linguagem mais light, mais descontraída dai eu gosto :) bjo

      Excluir

Obrigada pelo comentário. Será lido e respondido :)